terça-feira, janeiro 12, 2010

A água como factor de conflito

Na última semana Évora esteve cerca de 24 horas sem água. Tal facto deveu-se a problemas na captação da água e prontamente detectadas pelos serviços competentes. Este facto revelou que a sociedade actual já não sabe viver sem os bens essenciais como a água e a luz. Mas porque não parar e pensar nas populações espalhadas pelo Mundo fora que não têm acesso a água potável nem a electricidade?
Este facto também nos revelou que somos uma sociedade egoísta. A falta de água provocou uma corrida desenfreada aos supermercados, originando em muitos casos situações de conflito.
Não será tempo de parar para pensar e reequacionar a nossa forma de agir? Não seríamos uma sociedade mais solidária e mais tolerante?

domingo, janeiro 03, 2010

Novo Ano, Novas Esperanças

Mais um ano começa. Como é hábito, todos desejamos que este ano seja melhor que o anterior.

O ano de 2009 fica marcado pela crise económica mundial. Uma crise sem precedentes recentes e com efeitos devastadores no crescimento económico e no emprego. Milhões de postos de trabalho foram destruídos um pouco por todo o mundo. Só em Portugal a taxa de desemprego subiu cerca de 3% no espaço de um ano.

Os objectivos principais dos Governos do mundo inteiro é promover o crescimento económico dos seus países e a criação de emprego. Até que se consiga, são os Estados que têm de suportar grande parte dos custos com a crise, elevando os seus défices para conseguirem implementar medidas de protecção aos desempregados.

Espera-se que em 2010 a economia volte a crescer e devolva postos de trabalho.

Mas há factores positivos que a crise evidenciou e potenciou:

- Eliminou do tecido produtivo empresas de mão-de-obra barata e com produtos de baixo valor;

- Abriu uma janela de oportunidade para a requalificação dos recursos humanos que ficaram desempregados;

- Evidenciou as fragilidades do sistema financeiro mundial e fez com que fossem eliminados do mercado certos produtos e práticas nocivas;

- Potenciou a aposta em energias renováveis uma vez que há necessidade de reduzir a factura energética e o endividamento externo.

Um Feliz Ano de 2010 a todos os leitores do meu blog.